14 de fevereiro de 2008

S. Valentim


O texto adaptado da wikipédia, e abaixo transcrito, explica o dia de hoje no mundo ocidental, o que faz inflacionar o preço das rosas (no sábado, disse-me a florista, que as rosas vieram ao dobro do preço), e não só, de um dia para o outro.

Mas afinal porque se comemora o dia de S. Valentim, um santo, numa sociedade cada vez mais descristianizada?

A minha visão é simples: tem de dinanimizar-se o comércio e a indústria, porque entre o Natal e a Páscoa só há mesmo o Carnaval e não abarca todos os sectores, logo era um grande período de pouco consumo. Enfim, coisas da nossa modernidade!!

Vejamos então quem foi S. Valentim:


São Valentim ou Saint Valentinus é um Santo Católico que dá nome ao Dia dos Namorados em muitos países. O nome refere-se a pelo menos três santos martirizados na Roma antiga.
Durante o governo do imperador Claudius II, este proibiu a realização de casamentos no seu império, com o objectivo de formar um grande e poderoso exército.

Claudius acreditava que os jovens se não tivessem família, se alistariam com maior facilidade.

No entanto, um bispo romano continuou a celebrar casamentos, mesmo com a proibição do imperador. O seu nome era Valentine e as cerimónias eram realizadas em segredo.

A prática foi descoberta e Valentine foi preso e condenado à morte.

Enquanto estava preso, muitos jovens jogavam flores e bilhetes dizendo que os jovens ainda acreditavam no amor.

Entre as pessoas que jogaram mensagens ao bispo estava uma jovem cega: Asterius, filha do carcereiro, a qual conseguiu a permissão do pai para visitar Valentine.

Os dois acabaram-se apaixonando e milagrosamente Asterius recuperou a visão. O bispo chegou a escrever uma carta de amor para a jovem com a seguinte assinatura: “de seu Valentine”, expressão ainda hoje utilizada.

Valentine foi decapitado em 14 de Fevereiro de 270 d.C.


Nota: Que final tão triste para uma comemoração tão amorosa...

5 de fevereiro de 2008

Carnaval - Mardi Gras


Origines du Mardi Gras:

- rituel païen;
- satirique, critique, folie...
- avant la carême et l'époque des sacrifices;
- avant l'interdiction de la viande et autres... on se faisait gras... on mangeait des aliments gras... avant la purification de l'âme.

Candelária

Candelária???
Que palavra tão estranha!!!

De que se trata?
Uma planta? Um prato italiano? Uma flor????

Nada disso!
Realmente para nós é algo estranha a palavra, mas e se eu disser LA CHANDELEUR?
Bem, alguns continuarão na mesma... a não ser que conheçam um bocadinho da cultura francesa.

Pois é, venho atrasada, pois a festa da Chandeleur foi no dia 2 de Fevereiro, ou seja, a Festa das candeias (candela) ou da Apresentação de Jesus no templo.

Em França ainda é uma data importante, de convívio à volta de.... crêpes.
Claro que modernizada e adaptada.

Antigamente cabia às avós a tarefa de fazer crêpes aos netos.
Hoje, versão moderna, até são os papás... com variantes claro, como podem ver em
C'est la Chandeleur des papas.

A Chandeleur é portanto uma data muito especial, de amizade, confratenização... em volta dos crêpes... quentinhos... cheirosos... hummm....
Comemora-se sempre no dia 2 de Fevereiro, 40 dias depois do Natal, associada a uma festa religiosa (de ritual antigo e influência pagã, dos
celtas aos romanos...).

Como pedi a uns meninos que fizessem trabalho de pesquisa, aproveitei e também eu fui recordar pormenores desta data.
Dia 8 faremos crêpes, comemoramos atrasados, mas calhou a um sábado. Depois conto como estavam os crêpes... e se sobrou algum.

2 de fevereiro de 2008

Pulseira preta

Para descontrair do stress desta semana, de reuniões, de inúmeras papeladas e outras preocupações relacionadas com um certo abandono a que as famílias votam os seus filhos... descobri neste hobbie uma forma de descontrair e esquecer o quotidiano que quase não nos deixa tempo para criar.
Aliás, não se estimula o criativo, cada vez mais somos cópias... quase clones não pensantes (desabafo!).
Ver outras coisas Chez Marguerite.

Cet hobbie me permet d'oublier un peu le train train de nos jours.
Après une semaine de travail burocratique... je me suis détendue la soirée en réalisant une série de bracelets.
Voir plus sur Chez Marguerite.