14 de fevereiro de 2008

S. Valentim


O texto adaptado da wikipédia, e abaixo transcrito, explica o dia de hoje no mundo ocidental, o que faz inflacionar o preço das rosas (no sábado, disse-me a florista, que as rosas vieram ao dobro do preço), e não só, de um dia para o outro.

Mas afinal porque se comemora o dia de S. Valentim, um santo, numa sociedade cada vez mais descristianizada?

A minha visão é simples: tem de dinanimizar-se o comércio e a indústria, porque entre o Natal e a Páscoa só há mesmo o Carnaval e não abarca todos os sectores, logo era um grande período de pouco consumo. Enfim, coisas da nossa modernidade!!

Vejamos então quem foi S. Valentim:


São Valentim ou Saint Valentinus é um Santo Católico que dá nome ao Dia dos Namorados em muitos países. O nome refere-se a pelo menos três santos martirizados na Roma antiga.
Durante o governo do imperador Claudius II, este proibiu a realização de casamentos no seu império, com o objectivo de formar um grande e poderoso exército.

Claudius acreditava que os jovens se não tivessem família, se alistariam com maior facilidade.

No entanto, um bispo romano continuou a celebrar casamentos, mesmo com a proibição do imperador. O seu nome era Valentine e as cerimónias eram realizadas em segredo.

A prática foi descoberta e Valentine foi preso e condenado à morte.

Enquanto estava preso, muitos jovens jogavam flores e bilhetes dizendo que os jovens ainda acreditavam no amor.

Entre as pessoas que jogaram mensagens ao bispo estava uma jovem cega: Asterius, filha do carcereiro, a qual conseguiu a permissão do pai para visitar Valentine.

Os dois acabaram-se apaixonando e milagrosamente Asterius recuperou a visão. O bispo chegou a escrever uma carta de amor para a jovem com a seguinte assinatura: “de seu Valentine”, expressão ainda hoje utilizada.

Valentine foi decapitado em 14 de Fevereiro de 270 d.C.


Nota: Que final tão triste para uma comemoração tão amorosa...

Sem comentários: