31 de agosto de 2009

A Gaivota - Amália Hoje

É inesquecível ouvir ao vivo!!!

Excertos do espectáculo no youtube: início do espectáculo Com que Voz ; Gaivota ; Formiga (Bossa Nova) ; Medo, um dos momentos altos do espectáculo.

23 de agosto de 2009

Caetano Veloso - Sozinho (Ao Vivo)

Recordando um clássico de Caetano Veloso... é lindo, sempre!!

11 de agosto de 2009

A Ginja



Acabei de descobrir que a nossa querida ginja tem site próprio... para maiores de 18 anos, claro, pois isto de beber bebidas com algum teor alcoólico requer respeito e moderação. Está muito bem organizado o site e em três línguas: português, espanhol e inglês. Pena não ter também em francês, mas deve ser porque os franceses não bebem!!! (ironia)


http://www.ginja.pt/

Contos nossos de cada dia

Conto 1

Do alto daquela serra está um cuco a cantar, ó Maria vem cá baixo para me coçar

Assim veio o primeiro verso desta colectânea baseada ou inventada a partir de factos reais. Memórias de um povo, imaginário da minha infância… um mundo real que na minha geração já se considera secular, pelos costumes arreigados, pelas tradições rurais e regionais, pela existência da força de pulsos, trabalho manual, de muito suor… Éramos um país que já não existe, um país rural onde a ruralidade convivia com simplicidade e com o afastamento do mundo moderno que se lia em revistas, sobretudo estrangeiras, e que era muito pouco divulgado em jornais, rádios e na t.v., que era só uma e com horário limitado de transmissão. Olho esse passado não com saudade mas há uma certa melancolia, um certo romantismo digno dos romances de Júlio Dinis. Hoje, vendo a esta distância, observo que o meu Portugal dos anos 70 e 80 não estava assim tão longe do de Júlio Dinis, Almeida Garrett, Camilo Castelo Branco. Passaram-se apenas 20, 30 anos… no entanto, os hábitos alimentares e higiénicos, o estilo de vida, as férias, a educação, a música, a dança, a relação pais-filhos, entre irmãos ou amigos, aluno-professor, pais-professores… estão a anos-luz da minha infância. Bom? Mau? Não sei. É Diferente.

E agora vou começar a escrever o conto... noutras paragens.

7 de agosto de 2009

Café ou Coffee



Que cheirinho! É um conforto, uma doçura, uma ternura... um "je ne sais quoi", quando este odor invade os nossos sentidos, infiltrando-se pelas narinas adentro, contagiando toda a casa, instalando-se no recanto mais esquecido. É bom!

Costume mais do sul que do norte, mais arreigado nos países mediterrânicos, de um e outro lado, expresso, curto, longhi, turco, cheio, carioca, mais deslavado ou não, são tantas as designações para o café...
São estes cheiros que despertam os nossos sentidos e também as nossas almas. A vida que esquece na rotina, na "petite vie".

As marcas associam-se a países, a Buondi - Itália, a Delta - Portugal, por exemplo, mas adivinhem esta: A que país pertence a Royal Kona? Não sabem? Cliquem e descubram o site deste maravilhoso café, com toque de exótico e longínquo, com cheiro a lava e a grandes ondas. Adoro este café! Puro ou com macadamia ou com chocolate... é um cheirinho!
Não é apenas um café, é toda uma cultura que me invade a casa e a alma na busca de algo quase perdido no tempo: A comunhão entre o Homem e a Natureza. Um pequeno grão avermelhado, quase insignificante no seu arbusto transforma-se numa explosão de sentidos e sensações.

Uma amiga generosa (com contactos bem colocados no reino do Lá Vai) agracia-me de quando em vez com algo que tanto aprecio. Merci, ma chérie. Thank's my dear M.





O nome do café é... sem comentários!!! A língua é mesmo traiçoeira.

1 de agosto de 2009

Corazon Aquino

Li o título da notícia num site associado ao Público e fiquei a pensar... mas eu conheço este nome... Apesar de intrigada não fui ler logo a notícia e como não vi um telejornal inteiro não sei se falaram desta senhora... e eu continuava intrigada. Passadas umas horas, abrindo de novo esse site, continuei com a dúvida, não me recordava da pessoa. Cliquei, abri a notícia e li:

" Corazon Aquino morre aos 76 anos
31.07.2009 - 23h00 Reuters
A antiga presidente das Filipinas, Corazon Aquino, morreu hoje depois de 16 meses a lutar contra um cancro do cólon. Aquino tinha 76 anos e desde Março de 2008 que tinha conhecimento da doença.
Corazon Aquino foi a heroina da revolução do “poder popular” de 1986. A septuagenária entrou no hospital em Junho depois de uma perda do apetite. “A nossa mãe faleceu pacificamente às 3h18 (20h18 hora de Lisboa) de uma paragem cardio-respiratória”, disse o senador Bebigno Aquino Jr., filho de Corazon Aquino, na televisão nacional. "
(in Público online)

FINALMENTE. Claro!!! A Presidente das Filipinas!
Durante tantos anos admirei-a por ser uma voz e uma presença forte naquele mundo asiático tão masculino e tão autoritário.
Não vou dizer que foi uma excelente presidente ou não, não recordo informações que me façam duvidar da grande força desta mulher. Era uma MULHER, e, naquele mundo, é preciso ser-se ainda algo mais... carisma, inspiração, exemplo, etc, etc...

FALECEU MAIS UMA DAS PERSONAGENS MÍTICAS DO MEU IMAGINÁRIO DE JOVENZINHA.

Obrigada Corazon por tudo o que fizeste em prol da humanidade, é preciso começar-se pela base, pelo povo, pelo seu povo, abrindo novos horizontes a quem vivera um jugo ditactorial.