7 de agosto de 2009

Café ou Coffee



Que cheirinho! É um conforto, uma doçura, uma ternura... um "je ne sais quoi", quando este odor invade os nossos sentidos, infiltrando-se pelas narinas adentro, contagiando toda a casa, instalando-se no recanto mais esquecido. É bom!

Costume mais do sul que do norte, mais arreigado nos países mediterrânicos, de um e outro lado, expresso, curto, longhi, turco, cheio, carioca, mais deslavado ou não, são tantas as designações para o café...
São estes cheiros que despertam os nossos sentidos e também as nossas almas. A vida que esquece na rotina, na "petite vie".

As marcas associam-se a países, a Buondi - Itália, a Delta - Portugal, por exemplo, mas adivinhem esta: A que país pertence a Royal Kona? Não sabem? Cliquem e descubram o site deste maravilhoso café, com toque de exótico e longínquo, com cheiro a lava e a grandes ondas. Adoro este café! Puro ou com macadamia ou com chocolate... é um cheirinho!
Não é apenas um café, é toda uma cultura que me invade a casa e a alma na busca de algo quase perdido no tempo: A comunhão entre o Homem e a Natureza. Um pequeno grão avermelhado, quase insignificante no seu arbusto transforma-se numa explosão de sentidos e sensações.

Uma amiga generosa (com contactos bem colocados no reino do Lá Vai) agracia-me de quando em vez com algo que tanto aprecio. Merci, ma chérie. Thank's my dear M.





O nome do café é... sem comentários!!! A língua é mesmo traiçoeira.

1 comentário:

Escrivaninha disse...

Ó Miga! Royal Kona?!?
Mania das grandezas, é o que é...
Eu cá até sou republicana, tudo o que é da realeza não é comigo.
Pronto, pronto, para não dizeres que o comentário não tem nada de sério e era escusado (que era, de facto) aqui fica uma recomendação cultural para visitarem o Museu do Café, em Campo Maior. Vale a pena! E é nosso. Que somos republicanos e não usamos correntemente o 'K'. Ai desculpa! Mas era (quase) irresitível.