13 de junho de 2011

Portugal, os portugueses e o futuro

Portugal?Que povo é este que resiste sem avançar no tempo?
Recolhendo na memória, e lendo Fernão Lopes ou outros cronistas conhecemos a fácil manipulação de um povo néscio, há muitos séculos atrás. Tão fácil foi denegrir quem herdara por direito natural e se aventurara em casamentor além reino, como era uso então. A ela e a sua mãe, a aleivosa mais famosa de Portugal. Mas por cada príncipe real havia, de certo, uns quantos outros de sangue real também. Ambiciosos, oportunistas, narcisistas, orgulhosos, invejosos... ou fracos mas sempre rodeados de muito bons conselheiros, preocupadíssimos apenas com a perda da independência! Lérias! Ninguém arrisca sem ter em vista um belo naco suculento. Quem não arrisca não petisca, lá diz a sabedoria popular..
Toda a história está recheada de "bons" conselheiros. E de ambiciosos. E de oportunistas. e de ditadores. E de... ladrões. Ladrões do povo que só serve para disfarçar o cargo como se democrático fosse. Ladrões de paz, de sossego, de tranquilidade, de alegria, de riso, de educação, de saúde... Ladrões da nossa inocência.
Fomos manipulados em diversos períodos da nossa história, e não só da portuguesa, como da europeia. Elogia-se o povo por grandes mudanças históricas. O povo é quem mais ordena. Falácia vil e mesquinha. Camões, grande Camões, como pudeste adivinhar o que somos hoje. O que continuamos a ser ainda hoje. Não continuamos a ser manipulados? Enganados por iluminados que vivem em patamares onde a realidade nem sequervisionada num filme de ficção.
Que mudou afinal?! Títulos! Apenas os títulos!
Tempos difíceis se avizinham.
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, todo o mundo é composto de mudança. Será? 

Sem comentários: